terça-feira, fevereiro 04, 2014

Todo mundo quer ser VIP

Semana passada aconteceram duas coisas que me fizeram pensar bastante nisso de "eu sou mais importante que todo mundo e as regras da boa convivência são feitas para os outros porque eu sou VIP".

Uma no mundo virtual, na verdade, um post da Rosana sobre os "Loucos de Palestra". Recomendo bastante que você leia, que você compartilhe... É excelente!

E o outro acontecimento foi no mundo real mesmo.
O cantor uruguaio Jorge Drexler fez uma pequena série de 3 shows voz e violão numa balada casa noturna aqui no Rio de Janeiro. Eu adoro o trabalho dele, sou fã mesmo e já tinha tentado ir a um show que ele fez em Buenos Aires, mas os ingressos para o dia que poderia ir já tinham acabado. Mas, dessa vez, consegui os ingressos porque queria muito ver um show dele assim, mais intimista.
O show foi maravilhoso! O Drexler é um fofo que fala um português ótimo, tem canções lindas, com letras hermosas e é bastante atencioso com o seu público.
Até aí, qual o problema, né?! Nenhum, certo!? Sim, certo!
Como sou bastante fã do trabalho dele, quando o show acabou, cheguei pra uma das moças que trabalha na casa e perguntei por onde seria a saída dos artistas porque queria conseguir uma foto com ele. Normal, né, coisa de fã! A moça me respondeu que ele era sempre muito solícito e sempre atendia TODO MUNDO, até tarde e que já havia até uma filinha perto do bar para as pessoas entrarem e serem atendidas por ele. Ela me recomendou que eu esperasse por lá por perto. Não me incomodei, fiquei ali e entrei na fila. O show já tinha acabado há algumas horas e a fila não andava. Algumas pessoas desistiram, afinal já era quase 2 da manhã.
E aí é que vem a parte bizarra: pessoas que tentavam ser mais importantes/influentes que as outras. Vi, váriasssss vezes, pessoas puxarem os produtores, o bateirista que o acompanhou para tentarem passar na frente das pessoas que estavam na fila. Assim: o que leva você a pensar que porque você conhece alguém que conhece alguém, você é mais importante ou  melhor, que você teria que ter prioridade? Isso não aconteceu nem uma, nem duas, nem três vezes. Aconteceu uma porção de vezes!

Todos que estávamos lá, queríamos um autógrafo, uma foto, entregar um presente. Mas, algumas pessoas, se acham espertas demais pra enfrentar uma fila e esperar a sua vez.
Acho que eu era uma das últimas da fila. Pensei em desistir várias vezes, afinal, eu já estava cansada... Imagina só o cantor, como ele já deveria estar cansado também.

Ainda faltavam uns 4 ou 5 grupos de pessoas a serem atendidos, quando o Jorge saiu e disse que atenderia o restante das pessoas do lado de fora. Fui até lá. E ele realmente atendeu TODO MUNDO, mesmo estando com uma mega cara de cansado e com o produtor apressando o pessoal, afinal ele teria mais um show no dia seguinte. Jorge foi super atencioso com todo mundo, ele chegou a ponto de ajudar a corregir uma poesia em espanhol que uma fã fez pra ele. Consegui a minha foto e consegui agradecê-lo pelo lindo show mas não queria ter presenciado ceninhas de "me coloca lá dentro com ele porque eu conheço sei lá quem?" ou "sou VIP, eu tenho que entrar pra falar com ele"...

Por que as pessoas têm essa necessidade de se acharem melhores, mais espertas que as outras? O mundo não seria um lugar melhor pra todos se ninguém se achasse mais especialista, mais malandro e mais espertinho que o outro? Você é "especial" porque é mais influente, porque sabe mais, porque conhece alguém? Pense, por um segundo: o que te faz mais e melhor que o outro?


Veja também:
- Carta de um cliente esperto;
- Lugar marcado no cinema e respeito ao próximo;
- A tragédia da tragédia de Santa Maria;
- Vendo o lado bom das pessoas.

Beijos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Sinta-se à vontade para comentar!