sexta-feira, fevereiro 17, 2012

Caixa de Ferramentas

Contam que em uma carpintaria houve, certa vez, uma estranha assembléia. Uma reunião de ferramentas para acertarem suas diferenças.

Como presidente, o martelo, foi convidado a renunciar. A causa?
Fazia barulho demais e, além disso, passava o tempo todo golpeando. Ele aceitou a culpa, mas pediu que o parafuso fosse expulso também. Afinal, dava volta demais para conseguir o que queria.

Chocado com o ataque, o parafuso aceitou sua saída desde que a lixa também fosse mandada embora. Dizia que ela era muito áspera no tratamento com os demais, entrando sempre em atrito.

A lixa se comprometeu a acatar a decisão do grupo, desde que o metro saísse de lá também. A razão: ele media os outros segundo sua própria medida, como se fosse o único perfeito.
A discussão estava quente quando entra o carpinteiro, junta o material e dá início ao trabalho. Para isso, utilizou o martelo, o parafuso, a lixa e o metro. Finalmente, a madeira rústica se converteu em fino móvel. Quando a carpintaria ficou novamente só, a assembléia reativou a discussão. 

O serrote tomou a palavra:
- Senhores, ficou demonstrado que todos temos defeitos, mas o carpinteiro trabalha com nossas qualidades e pontos valiosos. Assim, deixemos de lado nossos pontos fracos e concentremos-nos nos fortes.

Todos compreenderam, então, que o martelo era forte, o parafuso unia, a lixa sabia limar como ninguém, além de afinar as asperezas e o metro era preciso e exato.

Moral da história:
Este texto mostra claramente o quanto é fácil enxergarmos os defeitos alheios. Isso qualquer um pode fazer. Quando procuramos erros nos outros, a situação fica tensa e negativa. Mas se fizermos o contrário, colhemos as melhores conquistas. Buscar nas pessoas seus pontos fortes faz com que fiquemos mais próximos da sabedoria. Todos somos peças importantes, principalmente, quando unidos. :-)

Veja também:
- Aula de filosofia...
- Cercas ou Pontes?
- Você é substituível?
- Exercício para o cérebro.

Beijos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Sinta-se à vontade para comentar!